Business Intelligence (BI) – O Que é e Como Se Organizar?

business intelligence, tecnologia da informação

A atividade de Business Intelligence (BI) tem importância e urgência para empresas que querem tomar decisões sólidas e gerar resultados no gerenciamento de telecomunicações.

Em outros artigos, falamos da explosão de dispositivos sob a guarda dos departamentos de Tecnologia da Informação e de Telecomunicações. Cada dispositivo gera um volume de informações já significativo: cadastros, custos, uso, dados, aplicativos.

Dessa forma, e considerando o valor que esta informação tem no conjunto dos recursos, BI tem que estar no programa estratégico não só de Tecnologia da Informação, mas corporativo. Porém, vamos começar pelo começo, definindo BI.

O que é Business Intelligence?

Traduzido literalmente, Business Intelligence é “inteligência de negócios”, o que ajuda a entender seu propósito: aumentar a inteligência corporativa. A questão é: como?

BI compreende o uso de metodologias, estruturas, processos e tecnologias que tem o objetivo de transformar o volume de dados gerados pela atividade da empresa em idéias, projetos e estratégias mais eficientes.

O uso de BI ajuda reduzir o risco associado à tomada de decisões. Primeiramente, elimina o “achismo”, oferecendo aos gestores uma compreensão fiel ao cenário corporativo. Em seguida, oferece um quadro de referência para a tomada de decisões, indispensável para estabelecimento de metas e medição de resultados.

Mais: BI oferece a gestores a possibilidade de medir o efeito das decisões, muitas vezes em tempo real. Ou seja, BI está presente antes, durante e após a tomada de decisões, combinando tecnologia, pessoas e processos para atacar as prioridades corretas com menor risco (e portanto custo).

BI em 5 estágios

Um projeto de BI deve levar em consideração uma série de etapas que envolvem os pilares que descrevemos anteriormente: processos, pessoas e tecnologia. Sendo assim, é possível dividir a atividade em 5 estágios, ilustrados abaixo.

Business Intelligence, tecnologia da informação

Storage e Extração em BI

A devida coleta e armazenamento de dados estão na base do BI. Plataformas dedicadas e integradas se responsabilizam por receber dados de gestão pertinentes à empresa, organizando-os para consulta (próximo passo).

Em seguida, ter uma infraestrutura robusta para armazenamento e consulta rápida destas informações é indispensável. seja na nuvem ou em um data center próprio, a capacidade de armazenamento e velocidade de processamento fazem a diferença na eficiência de BI.

Recursos para consulta em BI

As mesmas plataformas usadas para centralização dos dados devem ser responsáveis por organizá-los. Neste momento, a visualização começa a se apresentar no centro de BI: consultas à base dedados devem ser apresentadas de forma a facilitar o entendimento e cruzamento das informações criadas.

Um exemplo deste processo em gestão de telecom é a emissão de um relatório de usuários com maior gasto de telefonia móvel por departamento: em um relatório, cruzamos inventário de telecom, cadastro de usuários e informações de despesas.

Análise e interpretação de dados de BI

Antes de entrar na decisão motivada pelas informações coletadas, é preciso entender a história por trás delas. Por exemplo, no nosso relatório de ranking de usuários de telefonia móvel, o gestor de telecom enxerga algum ponto que se destaca?

  • Existem usuários muito acima da média de uso?
  • Estes usuários tem perfil compatível com alto uso (vendas, atendimento ao cliente)?
  • Existe uma sazonalidade relacionada a esse alto uso?

Esta parte da interpretação dos dados faz a ponte entre a emissão de um relatório e as decisões que este vai impulsionar. Aqui, a rotina de análise, combinada com profissionais preparados para esta leitura determinam o sucesso em BI mais que a tecnologia.

Dashboards e visualizações em BI

Ainda antes da estratégia, a discussão sobre como acompanhar o resultado das ações também faz parte do processo de BI. Sobretudo, como ter um conjunto de informações recorrentes que não necessitam esforço para observar.

Neste caso, entram os dashboards. A criação de painéis com indicadores mais importantes para a gestão oferece visualização consolidada e facilita mudanças rápidas de rumo ou ajustes na estratégia.

Idealmente, um dashboard envolve a discussão interna dos principais KPIs (indicadores críticos de performance), e estes devem focar em indicadores macro, deixando a análise detalhada para relatórios. Aqui, a informação é “at a glance”, ou seja, tudo que se pode ver em uma página/tela.

Um dashboard de gestão de telecom, por exemplo, apresentaria informações sobre volume de gastos por serviço, top 5 departamentos por custo, total de erros encontrados em faturas, quantidade de faturas processadas e outras informações de acamadas superiores.

Estratégia e medição em BI

Aqui, o gestor, seus processos e sua equipe tomam a frente de BI. A estratégia é traçada a partir da história contada pelos dados, dando caminhos que são definidos por complexidade e importância, a saber:

  • Baixa complexidade, alta importância: executar imediatamente, projetos de curta duração.
  • Alta complexidade, alta importância: elaborar plano de trabalho, com responsabilidades, prazos e etapas.
  • Alta complexidade, baixa importância: não agir, monitorar mês a mês para identificar se o assunto cresce em importância para demandar ação.
  • Baixa complexidade, baixa importância: idem acima, com a possibilidade de executar à medida que há tempo para acomodar.

Com as prioridades e estratégias desenhados e em execução, a tecnologia da informação volta ao centro da BI: relatórios de acompanhamento de resultados, consultas de sistema e dashboards e outros recursos se tornam indispensáveis para a continuidade.

Business Intelligence para Gestão de Telecom

Até agora, desenhamos BI como uma combinação de pessoas, processos e tecnologia. Os dois primeiros são responsabilidade de toda a empresa, o terceiro é particular a um departamento.

Sendo assim, a Tecnologia da Informação está no centro de BI. E uma das áreas que mais se beneficia de BI dentro de Tecnologia da Informação é telecom.

Já falamos em outros artigos sobre a importância de plataformas automatizadas de gestão de telecom, sempre com foco na produtividade e ganho de eficiência para a área de TI corporativa. Porém, existe uma série de vantagens em adotar estas plataformas que se relacionam diretamente a Business Intelligence, como:

Maior qualidade das informações

Plataformas de gestão de telecom direcionadas à integração de todas as entidades e fontes de informação da empresa geram informações de alta qualidade.

Por exemplo, um plataforma não integrada vai entregar informações sobre gastos totais, mas somente a integração cm cadastros corporativos vai permitir o rateio de despesas.

Agora, imagine integrar informações de despesas com cadastros e metas de redução de despesas corporativas. Estas integrações permitem definir metas realistas para a área de Tecnologia da Informação e mais especificamente para Telecom.

Mostramos alguns exemplos desta qualidade aumentada das informações em nosso artigo sobre relatórios de telecom.

Relacionamento com o cliente interno

A identificação de padrões de uso por filial – departamento – usuário entrega informações úteis para a gestão corporativa. Dessa forma, estas informações permitem a gestores medir a produtividade da área (como os resultados comerciais se cruzam com o volume de ligações atendidas no televendas?), enxugar custos operacionais e entender melhor a relação entre recursos de telecom e resultado.

Solidez em processos

Boa parte das atuação dos gestores de telecom envolve relacionar-se com as operadoras, mais notadamente auditorias de fatura e contestação de valores cobrados em erro. Sendo assim, ter informação de qualidade, estruturada e organizada garante que conversas com stakeholders externos ganhem em qualidade.

Economia de tempo e dinheiro

A habilidade de definir com precisão onde agir, como agir, qual a medida de sucesso e os indicadores que devem ser acompanhados regularmente gera economias e eficiências que mais que compensam o investimento em plataformas específicas, como aquelas de gestão de telecom.

Como está seu projeto de BI?

Talvez você aplique análise de dados na sua empresa, mas não Business Intelligence. Por vezes, falta a tecnologia para captar, armazenar, processar e entregar informações. Algumas vezes, a gestão é realizada em silos, sem integração entre departamentos. E ainda, algumas vezes é possível que faltem processos adequados para tirar proveito da estrutura.

Queremos lhe ajudar a ter a certeza de que seu negócio está tirando 100% de proveito das informações corporativas, via Business Intelligence. Dessa forma, queremos ouvir de você sobre suas necessidades específicas em Gestão de Telecom, e apoiá-las da melhor maneira possível. Fale conosco!

Sempre lembrando que estamos no LinkedIn e no Facebook. Adicionalmente, navegue também em nosso blog para conferir outros artigos que vão lhe ajudar a tomar decisões em gestão de telecom.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *