<img height="1" width="1" alt="" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=1616712345234498&amp;ev=PixelInitialized">
SOLICITE ATENDIMENTO

BLOG MOBILIT

Excelência em gestão de despesas de telefonia móvel, fixa e dados.

Terminologia para Gestão de Dispositivos de TI

Postado por Mobilit em 29/07/2015 11:30

gestão de dispositivos de tiA terminologia usada no ambiente corporativo é extensa, com expressões e siglas para modelos administrativos, ora em português, ora em inglês.

A única forma de não fazer feio numa conversa, para não “boiar” frente à uma diretoria, é adquirindo conhecimento sobre as tendências em gestão de telecom.

Para lhe ajudar selecionamos alguns itens importantes para que você conheça os tópicos mais discutidos, e saiba quais rumos tomar frente à sua gestão de TI.

TEM (Telecom Expense Management) – Significa “Gestão de Despesas de Telecom”, ou seja, todos os processos administrativos e de otimização de faturas, contratos e ativos de TI.

A área de atuação se dá de várias formas, desde a realização de auditorias de faturas até a negociação direta com as operadoras. São 2 os objetivos principais:

1 - Atingir o máximo de economia, identificando o controlando os pontos de desperdício;

2 – Otimizar todas as operações que envolvam o uso das telecomunicações (linhas fixas e móveis, dispositivos móveis, dados).

O TEM possui subdivisões, como por exemplo o WEN (Wireless Expense Management), aonde o foco e detalhamento recai apenas nos dispositivos móveis e redes sem fio.

MDM (Mobile Device Management) – Os softwares para Gestão de Dispositivos Móveis são projetados para otimizar as funcionalidades e segurança das comunicações corporativas.

São capazes de gerenciar dispositivos remotos entre equipes de campo, provedores de serviços e empresas. Distribuição de aplicativos, dados e configurações entre dispositivos como:

- Smartphones

- Tablets

- Laptops

- Wearables

- Ativos de TI de operação remota (impressoras, sensores, câmeras, etc)

Os softwares MDM padronizam as operações, controlam o tráfego de dados e estabelecem protocolos de segurança entre toda a equipe. Em parte automatizados, devem ser configurados e gerenciados por profissionais capacitados da equipe de TI.

O MDM também possui subdivisões, como por exemplo o MAM (Mobile Aplication Management), que tem foco somente em aplicativos, exercendo menos controle no aparelho como um todo.

EMM (Enterprise Mobility Management) ou MMS (Managed Mobility Services) – Termos sinônimos, abrangem a Gestão da Mobilidade corporativa.

As principais funções da área de atuação é a provisão de dispositivos móveis e periféricos, que engloba o plano de aquisição, roll out, conformidade operacional e legal dos aparelhos.

Características e\ou configurações específicas são estabelecidas dependendo das necessidades das empresas, e entregues sob demanda.

Alternativas ao BYOD

Muito se fala sobre o BYOD (Bring Your Own Device), prática crescente nos EUA e pequenos negócios, onde colaboradores utilizam seus próprios dispositivos para o trabalho.

Acontece que no Brasil, por conta dos planos corporativos, vemos outros modelos de gestão, em que os dispositivos são de posse da empresa, como por exemplo:

CYOD (Choose Your Own Device) – Escolha o Seu Dispositivo, a prática consiste em oferecer um certo grau de liberdade ao colaborador, permitindo a escolha entre modelos e marcas pré-estabelecidos, que não ofereçam conflito entre e si e estão dentro das metas orçamentárias e de segurança, capazes de atender expectativas pessoais de performance.

Em alguns modelos, a empresa é responsável pelos dispositivos, como no caso de CLEO (Corporate Liable Employee Owned), aonde a empresa se responsabiliza pelos dispositivos escolhidos dos colaboradores. Esse modelo é mais visto em altos escalões de hierárquicos.

Responsabilidade compartilhada

O modelo mais utilizado no Brasil divide as responsabilidade e vantagens da parceria entre o profissional e empresa, como por exemplo os descontos em aquisições de aparelhos e tarifas mais baratas através dos contratos e planos corporativos.

COPE (Corporate Owned Personally-Enabled) – A empresa fornece o dispositivo, que pode ser utilizado também para uso pessoal (e-mail, redes sociais, ligações, etc).

Melhores preços e tarifas são negociados para usufruto do colaborador, que fica então responsável pelo aparelho e deve respeitar as políticas de uso da empresa (reembolso, multa, descontos, responsabilidade por perda, etc).

Agora que você está por dentro da terminologia utilizada no universo de TI e TEM, será mais fácil escolher o modelo adequado para seu negócio, e encontrar a melhor forma de gestão para o seu negócio.

Lembre-se, não podemos evitar os avanços da mobilidade, e toda essa tecnologia deve se traduzir em avanços para o seu negócio. Deve lhe ajudar, ao invés de ser uma fonte de despesas.

Faça sua parte e procure dentre os modelos apresentados, o mais adequado para a sua atividade!

mobilidade corporativa

Topics: TEM, COPE, BYOD, MDM, WEN, CYOD, MAM, EMM, dispositivos de TI, MMS

Posts Recentes

Tópicos

veja todos

Inscreva-se para receber novidades